COMO SE TORNAR UM PROFISSIONAL DE COACHING?

Postado por Admincursos | 26 de fevereiro de 2017 | Deixe aqui seru comentário

COMO SE TORNAR UM PROFISSIONAL DE COACHING?

Cada vez mais pessoas querem saber como se tornar um coaching, uma área de atuação cheia de oportunidades e financeiramente vantajosa

Uma profissão relativamente nova que está em franca expansão no mercado ainda causa muitas dúvidas em quem quer ingressar no mercado. Entretanto, entender o coaching é uma tarefa fácil. Como se tornar um profissional de sucesso, no entanto, é mais difícil, pois exige dedicação e seriedade.

O coach é nome dado ao profissional que presta um serviço que ajuda na conquista de objetivos pessoais, profissionais, sociais, familiares, espirituais, financeiros e muitos outros para o coachee, ou seja, o cliente. O processo para atingir o resultado é chamado de coaching, e é dividido em diversas sessões, ou seja, encontros periódicos individuais ou em grupo que estimulam e apoiam a busca por uma resposta.

O termo “coach” está relacionado a profissão de cocheiro, que, antigamente, conduzia pessoas em uma carruagem rumo ao local desejado. Hoje em dia, o coach é alguém que incentiva o outro a se tornar alguém melhor por meio da descoberta de um potencial oculto, de mudança de atitudes e de um planejamento sólido, atuando como um “catalisador” do desenvolvimento.

Existem vários nichos de trabalho para aplicar o coaching. Um dos que mais estão em alta é o coach profissional, que atende necessidades corporativas e empresariais, auxilia trabalhadores que querem partir para um novo emprego, que querem abrir o próprio negócio ou aprender a liderar.  Já o coaching para objetivos pessoais é ainda mais vasto, e pode trabalhar desde as relações familiares até a prática de atividades físicas, e, ainda, permite inaugurar campos inexplorados nos dias de hoje.

Se você quer saber como se tornar um coaching, antes de tudo, é importante compreender a diferença entre a profissão de couch e a de consultor. Enquanto o primeiro investiga os valores e os desafios e desenvolve habilidades para que o cliente possa agir, o consultor oferece uma resposta fechada relacionada a um problema, geralmente estratégico ou administrativo, que pode ou não ser acatada pelo cliente que o contratou.

COMO SE TORNAR UM COACHING

Embora o papel do coach já exista há muito tempo, foi só na década de 60 que a profissão foi consolidada, devido a uma necessidade do mundo corporativo. Há cinco anos, a figura do coach emergiu, ampliando as áreas de atuação, a quantidade de profissionais e o número de cursos para iniciar na requisitada profissão.

Alguns coaches modernos e inovadores surgiram a partir de uma experiência de vida ou de um ímpeto empreendedor. São mães que sentiram dificuldade para cuidar das crianças e criaram um couching de maternidade, comunicadores que estavam insatisfeitos com a atuação de porta-vozes, e muitos outros exemplos que aparecem todos os dias.

Para ser coach, não é preciso ter formação superior nem atuar em sua área de graduação. Pelo contrário: um profissional que vai auxiliar com resoluções financeiras é ainda mais completo se ajudar também a solucionar questões familiares, e isto se aplica a todas as modalidades de coaching. A idade também não é um fator de decisão para a escolha da profissão e não é preciso ter idade avançada para passar confiança para o coachee. O mais importante é ter capacidade e vontade de se desenvolver e aprender continuamente.

Fazer um bom curso de coaching é recomendado, mas não essencial para começar o seu trabalho. A duração varia entre 40 e 80 horas de aula, com custos a partir de R$ 4 mil, e pode ser voltada para os problemas pessoais, corporativos ou ambos. Também é possível obter certificações como o Master Coach e o Advanced Coach, que são voltadas para quem já possui maturidade profissional e emocional. A vantagem de fazer um curso é o reconhecimento que isto trará para os seus futuros clientes, principalmente se você está em fase inicial. Por este motivo, opte por uma formação em uma escola de qualidade com professores experientes.

Esta pode ser a sua primeira ou segunda carreira. Entretanto, para se dar bem, é preciso ter algumas características vocacionais. A curiosidade é essencial, pois é a base para o aprendizado, além de gostar de servir outras pessoas, pois você se relacionará e ficará a disposição dos seus coachees durante um tempo. Ter respeito e comprometimento pela técnica também é necessário, pois os modelos existentes são comprovadamente eficientes, mas podem ser adaptados e aceitam a criação de novas metodologias.

Apesar do alto investimento inicial, o retorno financeiro é um fator atraente para quem exerce a profissão, pois a demanda é alta, o mercado ainda é escasso, e, portanto, valorizado. O coaching pode ser cobrado por pacote de duração ou por sessão: empresas de coaching geralmente trabalham com o valor do processo completo, enquanto que os autônomos flexibilizam os preços das sessões para poder aumentar a competitividade.

Além dos ganhos financeiros, os profissionais da áres adquirem autoconhecimento, autodesenvolvimento e satisfação. O aprendizado é essencial para que eles possam se aprimorar na carreira e transmitir novos conhecimentos para seus coachees, o que resulta em resultados mais efetivos e em mais indicações.

CUIDADO!

A ética é muito importante na profissão, pois se trata de um valor que todo bom trabalhador possui e precisa aprimorar, e você deve passar esta mensagem para os seus coachees. Muitos profissionais que se dizem experts no coaching têm se revelado verdadeiros pilantras e comprometido a credibilidade dos serviços perante o mercado e os possíveis clientes.

Uma boa forma de driblar os impostores é oferecer uma sessão demonstrativa. Ao fim da conversa, o potencial coachee deve obter uma resposta de valor, e não um conselho ou um ensinamento. Além disso, incentive os seus clientes atuais a dar referências, seja boca a boca ou nos perfis das redes sociais, como Facebook e LinkedIn. Coloque a sua formação sempre em evidência e crie uma estratégia de divulgação certeira para o seu público.

Feedbacks dolorosos e nada motivadores, falta de autonomia, baixa frequência de encontros, sessões definidas com muita antecedência e desprezo pelos coachees indicam que o coach é, na verdade uma enganação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *