Você já foi enganado e nem sabe

Postado por Admincursos | 1 de junho de 2017 | Deixe aqui seru comentário

Você já foi enganado e nem sabe

Se não for treinado constantemente, o raciocínio lógico pode deixar qualquer um na mão

Você já caiu em uma mentira muito convincente? Ou calculou mal o tempo que demoraria o trajeto de uma viagem? Esses são exemplos de alguns “bugs” causados pelo seu próprio cérebro, mesmo sem querer, e que indicam que o seu raciocínio lógico precisa se exercitar mais.

raciocínio lógico é um modo de pensar que ajuda a solucionar problemas e chegar a uma conclusão sobre determinado assunto. Ele é uma ferramenta útil para justificar, argumentar ou confirmar raciocínios, muito associado à matemática, e, por isso, é sempre requisitado não só em provas e processos seletivos, mas também em ações do dia a dia, como decidir o caminho até o trabalho e conferir o troco da padaria.

Pense, por exemplo, nesse problema: a mãe de Maria têm quatro filhas, Lalá, Lelé e Lili. Qual é o nome da outra menina? Se você ficou tentado a responder Loló ou Lulu, preste mais atenção! O desafio começa com “a mãe de Maria”. Logo, o nome da última filha é Maria.

Esse é um tipo bem comum de “bug” cerebral. Ele pode acontecer com todo mundo, mas pessoas bem preparadas, que estão sempre exercitando essa habilidade, têm menos chances de serem enganadas em situações como essa, que acontecem bem mais do que você imagina e que podem causar uma verdadeira saia justa.

COMO ESTIMULAR O RACIOCÍNIO LÓGICO

Desde bebê é possível estimular o cérebro e o raciocínio. Um dos primeiros exercícios para fazer isso é com os sons, os ritmos e as melodias das músicas, que podem ser ouvidas pelas crianças que ainda estão na barriga da mãe.

Na infância, além das disciplinas escolares, jogos e brincadeiras são ideais para treinar constantemente o raciocínio lógico. Peças de montar, jogos de tabuleiro, quebra-cabeças, enigmas e teatro são bons aliados para desenvolver a mente das crianças e até mesmo dos adolescentes.

Com o passar dos anos e a rotina de estudo, trabalho e cuidados com a casa e com a família, você terá cada vez menos tempo para se dedicar a essa importante habilidade. As tarefas cotidianas passam a ser realizadas no “modo automático”, mas, inserindo pequenas mudanças no dia a dia que tiram o cérebro da zona de conforto, é possível continuar auxiliando o desenvolvimento da inteligência lógica.

Além das famosas palavras cruzadas, praticar exercícios físicos regulares, manter uma dieta equilibrada e saudável, evitar o estresse e a ansiedade com pensamentos otimistas, ler livros e deixar a calculadora do celular de lado são bons desafios cerebrais. Para se aprofundar ainda mais no treinamento, principalmente quando estiver prestes a prestar um concurso público, por exemplo, baixe aplicativos no celular e realize um curso de raciocínio lógico.

CINCO DICAS PARA DAR O TROCO E USAR O RACIOCÍNIO LÓGICO A SEU FAVOR

Depois de algum tempo sendo “enganado” pelo seu cérebro, é hora de revidar! O raciocínio lógico pode ser aproveitado em situações cotidianas para ajudar a melhorar a sua vida e para atingir seus objetivos com mais facilidade. Aprenda a fazer isso:

– Em uma discussão, procure agir de maneira calma e segura, fazendo com que a outra pessoa seja a mais alterada. Isso pode fazer com que ela diga algo irracional, que você poderá utilizar para comprometê-la. Além disso, para fazer com que o outro concorde com você, faça “sim”, mexendo a cabeça para cima e para baixo enquanto fala.

– Se aquela música chiclete não sai da sua cabeça, a melhor forma de se livrar dela é pensar no final da música. Provavelmente ela irá embora, pois a mente humana possui um mecanismo cognitivo que não deixa esquecer as obrigações ainda não terminadas, deixando a pessoa tensa. Esse é o chamado efeito Zeigarnik.

– Uma boa forma de lidar com crianças e pessoas indecisas no geral é evitando dar opções que você não deseja que eles escolham. Por exemplo, em um dia frio, ao invés de perguntar “Você quer levar o casaco para a escola?”, correndo o risco de levar uma resposta negativa, use a frase “Você quer o casaco amarelo ou vermelho para levar para a escola?”.

– Durante negociações, use o silêncio a seu favor. O silêncio naturalmente tende a criar certo desconforto nas pessoas, e seu interlocutor provavelmente fará o que for preciso para quebrar o gelo, concordando com a sua proposta. Só tenha calma e espere isso acontecer.

– Se você quer que outra pessoa faça algo que você está fazendo ou precisa fazer, naturalmente passe a tarefa sem que ela perceba. Por exemplo: para passar uma sacola pesada para o outro, dê seguimento com a conversa fazendo um gesto sutil para que ele a segure, como se a sua intenção fosse, por exemplo, mexer no celular. A pessoa aceitará de forma automática.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *