Não Sabe Quando Usar Crase? Confira 7 Dicas Para Não Errar Mais!

Postado por Admincursos | 20 de março de 2018 | Deixe aqui seu comentário

Não Sabe Quando Usar Crase? Confira 7 Dicas Para Não Errar Mais!

De forma geral, a crase só é usada antes de palavras femininas, mas existem algumas exceções que você deve aprender para melhorar sua comunicação escrita

Uma letra, um acento gráfico e muitas dúvidas. O uso da crase confunde estudantes, candidatos a vagas de emprego e até mesmo profissionais de sucesso, mas saber quando usar a crase demonstra domínio da língua, inclusive na escrita, e é por isso que você não pode errar!

Antes de aprender a usar a crase, é preciso entender o que ela é.

A crase não se trata de um acento. Na verdade, ela é um fenômeno fonético que ocorre quando duas vogais iguais se fundem, como a preposição “a” e o artigo feminino “a”. A ocorrência leva um acento grave (`), assim:

Você pode estudar à vontade com cursos online. (a + a)

O exemplo mais famoso de crase é “à”, mas ela aparece também em “àquele”, quando a preposição “a” e o pronome demonstrativo “àquele” (e suas variações) se unem em uma frase, como em:

Esse curso é igual àquele que fizemos ontem. (a + aquele)

Na hora de pronunciar, não existe diferença. Basta falar “a”, sem desfazer a fusão. Dizer “Fui aa escola hoje”, de acordo com a norma culta, é equivocado.

Agora que você já entendeu tudo sobre a origem desse fenômeno, chegou o momento de aprender algumas dicas que vão ajudar você a usar a crase da forma correta e impressionar qualquer um que estiver lendo seu texto.

Quando houver uma preposição + um substantivo feminino

Esse é o caso clássico do uso da crase.

Quando o verbo for transitivo indireto e exigir a preposição “a” e a próxima palavra for um substantivo feminino no singular, a crase é obrigatória.

Eu não preciso ir à escola.

Quem vai, vai “a” algum lugar; “escola” é um substantivo feminino singular.

Antes de locuções adverbiais femininas que expressam ideia de tempo, lugar e modo

Uma série de locuções adverbiais pré-determinadas exigem o uso da crase, como à noite, às vezes, à vista, à medida que, à moda de e muitas outras. Porém, observe que a regra geral se mantém: ela precede substantivos femininos.

Estava à deriva antes de iniciar esse curso.

Lembre-se: “a prazo” não tem crase! Esse é um erro muito comum, mas não é justificado, uma vez que que o substantivo “prazo” é masculino.  Veja diversos erros de português que você não sabia que cometia.

Ao indicar horas ou dia da semana específicos

Para saber quando usar a crase nesse caso, basta refletir se você está indicando um horário específico ou um horário qualquer; um período de tempo determinado, conforme os exemplos:

Minha prova começa às 10 horas.

Horário específico

Minha prova começa após as 10 horas.

Horário indeterminado

Tenho prova de segunda à quarta-feira.

Tenho prova às segundas.

Período determinado

Vale lembrar que “sábado”, “domingo” e “meio dia” são palavras masculinas, portanto, não devem ser usadas com a crase. Aproveitando sobre a reflexão do horário, você está dormindo bem? Entenda melhor sobre a importância do sono para futuros líderes e melhore a qualidade do seu sono.

Saiba exatamente quando usar a crase com 7 dicas incríveis para você não errar mais!

 

Antes dos substantivos “casa” e “terra”

Se os substantivos “casa” e “terra” não tiverem o sentido de “lar” e “terra firme”, respectivamente, você deve usar a crase.

Vou à casa de Maria estudar.

Aqui, a “casa” é de um terceiro.

Cheguei às terras de meus antepassados na aula de história.

E aqui, “terra” significa “propriedade”.

Diante de nomes de lugar

Verbos como “ir”, “chegar” e “dirigir-se” exigem a preposição “a” e em alguns casos o lugar a que se vai pede o artigo feminino “a”, como o nome de algumas cidades, estados ou países.

Para saber se você deve ou não usar a crase nesses casos, use a seguinte regra: quem vai “a” e volta “da”, crase há. Quem vai “a” e volta “de”, crase para quê? Ou seja:

Vou à Bahia. Volto da Bahia.

Nesse caso, há crase.

Vou a Paris. Volto de Paris.

Não há crase.

Antes de pronomes possessivos e nomes próprios femininos e após a preposição até seguida de substantivo feminino

Nesses três casos, o uso da crase é facultativo, ou seja, o uso não é obrigatório e ambas as grafias são aceitas pela gramática. Se você não tiver certeza de quando usar a crase, nesses casos, é melhor deixar sem.

Veja os exemplos abaixo:

Com pronome possessivo

Fiz referência à minha aula de matemática.

Fiz referência a minha aula de matemática.

Com nomes próprios:

Apresentei o seminário à Maria.

Apresentei o seminário a Maria.

Com preposição “até” antecedendo substantivos femininos:

Iremos até às últimas consequências.

Iremos até as últimas consequências.

Quando não há crase

Além de conhecer quando se deve usar a crase, é preciso saber em quais situações ela é proibida, mas frequentemente usada:

– Antes de substantivos masculinos

Vou à escola a pé.

– Antes dos verbos

Eu não cheguei a estudar para a prova.

– Em expressões com palavras repetidas

O dia a dia de estudos é cansativo.

Pronto, agora você já sabe exatamente quando usar a crase. Mais alguma dúvida? Deixe nos comentários aproveite para contar para o Cursos 24 Horas sua opinião sobre o assunto!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *